ZeroPaper é destaque na Case 2016

por Equipe QuickBooks

1 minutos de leitura

Em palestra realizada nesta terça (8/11/16) durante o Case 2016, maior evento de startups na América Latina, André Macedo, cofundador da ZeroPaper e atual diretor-geral da Intuit Brasil, contou um pouco da história da startup ZeroPaper até sua venda para a Intuit.

Macedo comentou que, por trabalhar no mercado de finanças, muitas pessoas pediam conselhos sobre finanças. “Mas quando eu chegava lá e pedia qualquer informação financeira, as pessoas não tinham nada. Balanço, registros, recibos, nada. Percebi então que havia uma oportunidade para criar algo que melhorasse a gestão financeira das pessoas e das empresas”, disse.

Com essa ideia, Macedo e seus sócios foram aprovados para aceleração da startup na incubadora 21212. “Nossa ideia inicial era criar um sistema ERP robusto e com muitos recursos. Mas durante a aceleração, e por meio de extensa pesquisa com clientes, percebemos que a necessidade maior do mercado era de um sistema simples e fácil de usar, similar ao Excel. Foi a partir daí que o ZeroPaper foi criado”, afirmou.

Com o produto criado, o passo seguinte foi conseguir investimento. Nesta etapa, Macedo reforçou a importância de ter um bom time. “O fato de termos um time forte e complementar na ZeroPaper certamente contribuiu para que os investidores apostassem em nós no começo”.

Após algumas rodadas de investimento, em 2014 a empresa chamou a atenção da gigante de software financeiro Intuit. “Percebemos que havia uma sinergia grande entre as empresas, pois a Intuit tem um produto, o QuickBooks, que está em um patamar ligeiramente superior ao ZeroPaper em termos de recursos. Assim, teríamos uma linha de produtos que atenderia a mais segmentos do mercado”.

A negociação com a Intuit foi mais complexa do que as anteriores, segundo Macedo, pois envolvia advogados de várias partes, incluindo investidores. Macedo deu uma dica fundamental para empreendedores em fase de negociação com investidores. “Nessa fase, é importantíssimo manter o foco na empresa para que ela continue crescendo. É nessa hora que os investidores mais olham para sua empresa. Por isso, o empreendedor deve mostrar que é capaz de tocar seu negócio mesmo durante longos e trabalhosos processos de negociação”, concluiu.

 

Artigos Relacionados