Recuperação judicial: quais os benefícios para pequenas e microempresas?

por Equipe QuickBooks

2 minutos de leitura

Você sabia que a recuperação judicial é uma forma de evitar a falência que também serve para pequenas e microempresas? Através dessa alternativa, você conta com a justiça para superar dificuldades financeiras sem precisar fechar as portas do seu negócio.

Selecionamos as principais dúvidas dos microempreendedores sobre o tema e vamos respondê-las aqui. Então, se você quer aprender quais são os benefícios e como funciona a recuperação judicial para dar a volta por cima, acompanhe!

O que é recuperação judicial?

É uma forma que as empresas têm de evitar a falência utilizando recursos da justiça para se recuperar de crises financeiras. Em outras palavras, a empresa fica blindada da cobrança dos credores durante um período, pode se organizar para se reerguer e ainda parcelar as dívidas – tudo autorizado pelo juiz.

Como funciona?

O primeiro passo é encaminhar para o Poder Judiciário um pedido de recuperação judicial. Nesse momento, é preciso apresentar uma série de documentos. Entre eles, estão os motivos que levaram o negócio à crise, comprovantes contábeis dos últimos três anos e patrimônio do devedor. A lista completa você pode conferir aqui, na própria Lei.

Leia também: Como fazer uma empresa com problemas dar a volta por cima

Se o juiz autorizar o pedido de recuperação judicial, a empresa tem 60 dias para apresentar um plano de recuperação. Esse plano deve ter um conjunto de ações para reerguer o negócio e é compartilhado com credores, que têm até 120 dias para aprovar e negociar. Nesse tempo de 180 dias a empresa fica protegida das cobranças.

Quais os benefícios da recuperação judicial para as micro e pequenas empresas?

O principal benefício é contar com proteção judiciária contra cobranças por até seis meses. Nesse período, a micro e pequena empresa pode continuar as suas atividades normalmente, se organizar e colocar as contas em dia. Além disso, as dívidas podem ser parceladas em até 36 vezes – e começam a ser pagas depois daqueles 180 dias.

Leia também: Contas a pagar e receber – dicas para ter mais controle financeiro

Quais as obrigações das empresas em recuperação judicial?

Quando o período de análise do plano de recuperação acaba, é preciso começar a colocá-lo em ação. E cada passo desse plano, descrito anteriormente pela empresa, deve ser executado. Mensalmente, um administrador da justiça fiscaliza se tudo está sendo feito conforme o projeto e repassa as informações ao juiz, que acompanha o caso.

Qual a importância de manter a contabilidade em dia?

É fundamental manter as informações sobre a sua contabilidade em dia, pois, no caso de um pedido de recuperação judicial, elas são indispensáveis para dar entrada no processo. Uma boa dica para que micro e pequenas empresas tenham esses dados organizados corretamente, é contar com gestores financeiros online eficientes e seguros. E a nossa dica é a ferramenta de fluxo de caixa do QuickBooks ZeroPaper. Com ela, você tem as despesas, receitas e impostos detalhados pelo período que precisar. E vale lembrar que é gratuito!

Artigos Relacionados

Análise de risco e capital de giro: entenda como funcionam

Para atingir desempenhos satisfatórios, empresas de todos os tamanhos lançam mão de…

Leia Mais

Contas a pagar e receber: 6 dicas para ter mais controle financeiro

Fazer o controle financeiro de um negócio também passa pela organização das…

Leia Mais

Índices de solvência: saiba mais sobre esse conceito

Como proprietário de uma pequena empresa, você é o único responsável por…

Leia Mais