Orçamento empresarial: como não errar em 2016

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

O ano de 2016 será um grande desafio a todos empresários e empreendedores brasileiros. Em uma época de crise, com investimentos sendo cortados e recessão econômica à vista, é um período que mostrará a tenacidade daqueles que estão procurando alcançar o sucesso trilhando o próprio caminho.

Mas épocas de crise não são ruins em todos os aspectos. Elas nos forçam a melhorar, aprimorar e verificar o que estamos fazendo de certo e errado. E nos força a rever e planejar melhor nosso negócio.

Por isso, para esse ano de 2016, é muito importante ter especial cuidado com o orçamento empresarial. Para não errar nesse ano tão crucial, confira o post a seguir!

O que é orçamento empresarial?

Trata-se de uma etapa crucial para a execução do plano de negócio da empresa. Enquanto o fluxo de caixa nos mostra as despesas e receitas, entradas e saídas financeiras que já aconteceram, o orçamento empresarial é a previsão de receitas e despesas em um recorte temporal — normalmente um ano —, criando um o plano para lidar com os recursos disponíveis e aqueles que previsivelmente teremos à disposição. Ou seja, uma previsão de quanto se receberá e em que se gastará.

LEIA TAMBÉM: Saiba como fazer uma projeção de vendas eficiente

Como fazer um orçamento empresarial?

Ele depende da atividade da empresa, do tipo de produto e da forma de execução das atividades para ser elaborado. Em outras palavras, cada empresa precisa montar um orçamento baseado no caso concreto de sua realidade. Há, no entanto, alguns pontos em comum e passos que podem guiar a criação desse planejamento: a análise, a criação de objetivos, a projeção empresarial, a margem de manobra, a divulgação e o acompanhamento. Vamos falar mais detalhadamente de cada um a seguir:

Análise

O primeiro passo para se fazer um bom orçamento empresarial para 2016 é analisar como foram os negócios em 2015 e, preferencialmente, também nos anos anteriores. Para isso, podemos usar o fluxo de caixa do último ano, por exemplo, ou outros indicadores que um ERM possa fornecer.

O importante aqui é, com base na maior quantidade de dados que puder reunir, fazer um diagnóstico sobre as receitas e despesas dos anos anteriores, verificar a média dos negócios, sazonalidades, gastos ordinários, períodos conturbados e puxar todos os indicadores possíveis sobre suas receitas e despesas. Isso servirá como base para o orçamento empresarial do ano seguinte. Portanto, essa é uma etapa imprescindível.

LEIA TAMBÉM: 4 dicas de gestão fiscal para pequenas empresas

Criação de objetivos

Com base na análise, é importante traçar, para esse ano, objetivos factíveis de onde se quer chegar. Determinar esses objetivos ajudará a decidir em que áreas da empresa os recursos serão melhor alocados, o que deverá ser ampliado, revisto ou cortado, quais os principais investimentos à frente, etc. Em geral, os objetivos já estão no Plano de Negócio, por isso, não deixe de consultá-lo!

Projeção empresarial

Na projeção empresarial, constará sua estimativa de receitas (entradas financeiras), gastos de investimento fixo (recursos humanos, aluguel, contas de eletricidade, água, manutenção, etc), provisão de capital de giro, provisões pela gestão fiscal, aquisição de matéria-prima, aquisição de equipamentos, projeção de crescimento empresarial, etc. Tudo deverá ser colocado e decidido no orçamento empresarial, assim como as etapas devem ser detalhadas e determinadas durante o ano.

LEIA TAMBÉM: Veja como administrar o salário de seus funcionários

Margem de manobra

É também muito importante ter em mente que o orçamento empresarial deve ter certa flexibilidade para lidar com imprevistos. A criação de um fundo de reserva, por exemplo, pode dar essa margem de manobra no planejamento sem afetá-lo.

Além disso, é muito bom sempre segui-lo, mas eventualidades podem fazer com que o orçamento empresarial precise ser repensado. O equilíbrio entre se manter firme a ele e saber o momento de mudá-lo é uma habilidade importante para qualquer empresário.

Divulgação e acompanhamento

Outro ponto de suma importância é que o orçamento empresarial deve ser construído, divulgado e acompanhado por todos os setores da empresa, que devem se empenhar conjuntamente em implementá-lo. Um planejamento que fique encerrado apenas na diretoria ou nas mãos do dono dificilmente obterá êxito. Se toda a equipe trabalha em prol dele, será muito mais fácil conseguir alcançá-lo.

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook ou Twitter e veja mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas.

Artigos Relacionados