Folha de pagamento: entenda o que é e como calcular

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

A folha de pagamento é muito importante para todo empregador que quer estar dentro da lei e não correr o risco de ser multado ou processado. Seja uma grande corporação, seja uma pequena empresa, todas devem fazer a folha de pagamento dos funcionários, já que este documento é fundamental para empregados e empregadores.

Se você tem dúvidas sobre como elaborar a folha dos membros de sua equipe e deseja agir corretamente, sem abrir espaço para erros que custarão caro, leia as nossas dicas abaixo e aprenda um pouco mais sobre como calcular a folha de pagamento corretamente.

LEIA TAMBÉM: Veja como administrar o salário de seus funcionários

O que é a folha de pagamento?

A folha de pagamento é o documento que mostra vencimentos, salários, descontos e bônus dos funcionários de qualquer empresa. Ela discrimina os registros feitos todos os meses dos dados dos funcionários, transformando essa informação trabalhista em informação contábil, mostrando o pagamento bruto e o pagamento líquido do empregado.

Assim, a folha é o que retrata a atividade exercida e mostra a remuneração do funcionário devido a essa atividade. É o histórico que fornece todas as informações relacionadas ao trabalhador, como faltas e dias trabalhados, os descontos que recebem no salário e, do valor bruto que receberia, quanto receberá de verdade após esses descontos.

Na folha, deverão constar dados básicos como o nome do funcionário, o cargo ou os serviços prestados, os valores de remuneração e valores que não fazem parte dela, como eventuais ajudas de custo, e os descontos legais.

LEIA TAMBÉM: Veja 6 dicas de motivação para seus funcionários

Como calcular?

Comece o cálculo da folha de pagamento classificando o funcionário por categoria, como comércio, indústria ou outras, por exemplo. Cada uma delas é regida por uma convenção, que estabelece as regras a serem respeitadas.

Depois, confira os registros de ponto do funcionário para saber quais foram as horas trabalhadas e se há horas extras. Assim é possível também verificar se houve faltas justificadas ou não. Caso tenha faltas não justificadas, elas devem ser descontadas do salário bruto.

Veja ainda se o empregado tem direito a adicionais no salário, como adicional noturno, de periculosidade, de insalubridade e salário-família.

Feito isso, é hora de observar os custos que deverão constar na folha e farão diferença no salário do trabalhador, como impostos e benefícios, além de pagamentos que devem ser feitos. Veja a seguir alguns deles:

INSS

O INSS é a contribuição destinada a gastos com aposentadoria, licença médica, pensão por morte e outros benefícios. O valor da contribuição varia de 7,65% a 11%, de acordo com o valor do salário bruto.

FGTS

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um depósito feito todo mês e corresponde a 8% do salário bruto do funcionário. O fundo garante indenizações.

Férias

A cada 12 meses de trabalho, o funcionário tem direito a férias de 30 dias corridos. Nesse período, é pago um valor composto do salário mensal mais 1/3. No mês de férias, é cobrada uma taxa de 12,67% do trabalhador.

13º salário

É o pagamento de um salário “a mais” pelo ano de trabalho. Caso o funcionário tenha trabalhado menos de um ano, o 13º salário deve ser proporcional ao período trabalhado.

LEIA TAMBÉM: Como é feito o cálculo do 13º salário

Benefícios

Plano de saúde e vale-refeição, por exemplo, normalmente fornecidos pelas empresas, também podem ser descontados do salário bruto, sem um percentual definido por lei. O vale-transporte também é descontado, mas com o limite de 6% sobre a folha de pagamento.

Imposto de renda

Também é necessário calcular o imposto de renda. Ele é calculado com base no salário descontado o INSS. Para determinar a base de cálculo que pode ter o imposto, têm-se como deduções os dependentes, o desconto do INSS, faltas, atrasos e pensão alimentícia.

Ao final, do salário bruto são deduzidos os descontos e benefícios legais, como INSS, vale-transporte e vale-refeição, faltas, imposto de renda, entre outros. O restante é o salário líquido, que deverá ser pago ao funcionário.

Quer mais dicas que ajudarão o seu negócio e facilitarão a sua vida? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as nossas dicas!

Artigos Relacionados