Como projetar o balanço patrimonial para o próximo ano

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

Um gestor de sucesso está sempre de olho no futuro. Por isso, a realização de projeções é uma atividade indispensável para qualquer negócio. Hoje, o balanço patrimonial é uma das demonstrações contábeis mais importantes para uma empresa e, por isso, devemos usar as informações obtidas por essa ferramenta para realizarmos algumas projeções importantes.

Por meio do balanço patrimonial, podemos nos preparar para encarar as obrigações ainda pendentes, realizar estimativas de vendas, além de definir a necessidade de criarmos reservas e provisões. A análise do balanço patrimonial deve ser constante, de preferência realizada mensalmente ou, ao menos, anualmente. Assim, com base nos dados passados, fica muito mais fácil para o gestor avaliar o seu futuro. No post de hoje, vamos falar um pouco sobre como projetar o balanço patrimonial. Confira!

Passivo: como manter o equilíbrio econômico-financeiro?

No balanço patrimonial podemos visualizar todo o nosso passivo, isso é, o conjunto de obrigações da empresa, como aquelas decorrentes das compras a prazo e da obtenção de empréstimos. Quando realizado de maneira regular, o passivo pode ser dividido entre circulante (curto prazo) e não circulante (longo prazo), além de ajudar a visualizar os valores reais das obrigações, com a separação do montante principal (atualizado pelo valor presente da dívida) e os juros e encargos da operação.

LEIA TAMBÉM: Conheça os principais tributos do início do ano

Assim, com a avaliação dos passivos, fica muito mais fácil definir se a empresa está ou não em uma situação sustentável para os próximos anos. Se o passivo supera os ativos, isso é, se as obrigações são maiores do que o dinheiro em caixa e na conta bancária, do que a conta clientes ou do que o próprio estoque, é sinal de que as coisas vão mal. Além disso, saber exatamente o quanto devemos nos ajuda a realizar projeções de vendas para o próximo ano, além de programar uma possível antecipação de uma dívida (para fugir dos juros).

Reservas e provisões: evitando imprevistos

Reservas e provisões também devem ser consideradas no balanço patrimonial para períodos futuros. Uma provisão que merece bastante destaque é a Provisão para Devedores Duvidosos, uma conta retificadora do ativo circulante, mais especificamente da conta clientes — ou seja, daquilo que esperamos receber de clientes, por uma venda a prazo, por exemplo. A conta PDD é uma provisão necessária para não nos surpreendermos com a inadimplência. Deve ser feita levando em consideração a média da inadimplência dos últimos 3 anos, de maneira percentual, e aplicada na mesma proporção.

LEIA TAMBÉM: Saiba mais sobre o SIMPLES e outros regimes tributários

Além disso, existem determinadas situações em que o gestor deve ser precaver e, por conta disso, deve realizar reservas de contingência. Ao contrário das provisões, as reservas de contingência são extraídas diretamente do lucro líquido do exercício. São reservas que podem ser utilizadas para evitar prejuízos maiores decorrentes de eventos futuros e relativamente certos de acontecerem. Um exemplo são ações judiciais movidas contra a empresa em que as causas são praticamente perdidas, ou o caso de uma geada, no ramo da agricultura.

Análise de balanços: Conheça a história da sua empresa

O balanço patrimonial é conhecido por ser uma fotografia da situação econômica de uma organização em um determinado período de tempo, uma vez que revela elementos estáticos: os ativos (estoques, caixa, bancos); os passivos (empréstimos, fornecedores); e o Patrimônio Líquido (reservas, capital social). No entanto, assim como no cinema, quando juntamos uma série de fotografias em sequência podemos perceber o movimento. Toda uma história pode ser contada.

LEIA MAIS: Saiba como fazer uma projeção de vendas eficiente

É por isso que a análise de balanços passados é fundamental para compreendermos melhor o nosso futuro. Podemos conhecer melhor o progresso da empresa no tempo e, com isso, podemos saber se a empresa está evoluindo ou não. Pode ser o start indispensável para mudarmos a nossa política, os nossos planos e estratégias. É uma análise importante para sabermos se estamos no caminho certo, ou se devemos sair da zona de conforto!

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook ou Twitter e veja mais conteúdo sobre finanças para empresas.

Artigos Relacionados