Trabalhador autônomo: veja como definir metas de trabalho

0
SHARES

Trabalhar por conta própria exige uma série de responsabilidades; afinal de contas, você é o único responsável por qualquer prejuízo ou lucro. Por outro lado, é mais fácil resolver esses problemas, uma vez que a solução está em pequenos desafios cotidianos. Nesse artigo, vamos explicar métodos indispensáveis para o trabalhador autônomo definir e alcançar metas de trabalho. Vamos lá!

Defina metas realistas

As metas devem servir como degraus de crescimento e indicadores de sucesso no trabalho. Portanto, não seja muito exigente — estabelecer metas absurdas é um erro que pode causar desânimo. Pense em metas razoáveis: leve em conta as suas tarefas diárias e o tempo de dedicação exclusiva à atividade em que você atua. Aumente os limites mês a mês e veja o resultado.

Por exemplo, digamos que você trabalhe com reparos de computador e atenda 20 clientes por mês. Não mude seu teto para 35 logo no mês seguinte. Comece gradativamente com 25, depois 30, até chegar a 35 pessoas. Aos poucos você será capaz de entender melhor como aumentar o atendimento sem perder qualidade no serviço oferecido e sem abrir mão da sua vida pessoal.

VEJA TAMBÉM: As diferenças entre autônomo, profissional liberal, MEI e ME

Faça um bom planejamento

Um planejamento detalhado é fundamental para estabelecer metas razoáveis e criar estimativas rumo ao sucesso da sua empreitada. Considere fatores básicos, como custos, jornada de trabalho e previsão de lucros.

O custo corresponde a quanto dinheiro você gasta agora para manter a sua atividade. É importante saber exatamente qual é essa quantia para poder reduzir alguns gastos e investir em equipamentos, insumos e infraestrutura.

A jornada de trabalho diz respeito a quanto tempo você leva nas etapas de produção, atendimento e venda. Dividir o tempo entre essas tarefas de maneira equilibrada é imprescindível no trabalho de um trabalhador autônomo.

LEIA TAMBÉM: O impostos para pequenas empresas e profissionais liberais

A previsão de lucros, por sua vez, consiste na sua expectativa de faturamento subtraída dos gastos em um mês. Se você gastou R$500 e recebeu R$1.000, você teve um lucro bruto de R$500. É um exemplo simples, que não leva em conta custos com impostos e outras tributações.

No seu planejamento, elabore estimativas realistas. Nada de lucros imaginários: baseie-se nas receitas referentes a períodos anteriores. Essa é uma meta que, assim como as outras, deve crescer aos poucos. Também vale prestar atenção a outros indicadores financeiros, como a cobertura de juros ou o giro de caixa.

Execute o planejamento à risca

Já que você se deu tanto trabalho para arquitetar um bom planejamento para o seu negócio, siga-o integralmente. É indispensável que você confie no seu diagnóstico. Execute o planejamento à risca e só assim você poderá identificar falhas e acertos que interferem diretamente na produtividade e no lucro do seu negócio.

Analise o resultado

Após cumprir devidamente o que foi planejado, analisar os resultados é fundamental. Confira se as metas estabelecidas se confirmaram ou se houve problemas que impediram o alcance dos objetivos. Verifique também se as projeções de receitas e aumento do lucro se realizaram.

Essa etapa é tão ou mais importante do que as outras, pois permite que você encontre falhas e possa focar na correção das barreiras que impedem um crescimento ainda maior do seu negócio. Lembre-se de manter os acertos e corrigir os erros no novo planejamento financeiro e de metas.

Todo profissional autônomo precisa ficar atento a uma série de fatores para tornar o negócio mais rentável. Agora que você já sabe como definir suas metas, aproveite para aprender também como fazer o controle financeiro da sua empreitada e como reduzir os custos com impostos e tributações.