Imposto de Renda: veja dicas para preparar sua declaração

por Equipe QuickBooks

5 minutos de leitura

Artigo escrito por Renata D’Elia

É hora de planejar o ano fiscal e preparar a declaração do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) da sua empresa. O IRPJ tem alíquotas e regras específicas para cada enquadramento tributário. A Receita Federal receberá a primeira leva de declarações entre os dias 1 de Março e 30 de abril.

Antes de enfrentar o Leão, é preciso se preparar. Para ajudá-lo, preparamos uma lista com tudo que você precisa para atender às exigências do governo. Vamos lá?

Preparação e enquadramento

A Pessoa Jurídica pode escolher seu regime de tributação ao início de cada ano fiscal. Pequenas e médias empresas podem se enquadrar em três deles. A declaração do IPRJ muda de acordo com o enquadramento:

Simples

O Simples reúne em uma só guia 6 impostos federais (IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP), um estadual (ICMS) e um municipal (ISS). Este regime se aplica a pequenos negócios com faturamento anual de até R$ 3.600.000,00.

Empresas optantes pelo Simples não precisarão declarar Imposto de Renda, uma vez que já declaram seus gastos na Declaração Anual do Simples Nacional (DASN).

LEIA TAMBÉM: O que é o Simples Nacional?

Lucro Presumido

Neste caso, o governo presume o percentual do seu lucro de acordo com uma tabela, variando entre 1,6% e 32% do faturamento.

Deduz-se da receita operacional o percentual da margem de lucro presumido e, sobre este montante, aplica-se a taxa de 15% correspondente ao IRPJ. Tributos federais como o  IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP também estão contabilizados aqui.

Lucro Real

Alíquota de 15% sobre o lucro real da companhia. Se o lucro ultrapassar R$20 mil/mês, é obrigatório pagar um adicional de 10 por cento sobre o valor que exceder. Tributos federais como o  IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP também estão contabilizados aqui.

LEIA TAMBÉM: Veja em detalhes as diferenças entre lucro real e lucro presumido

Documentação necessária

Após baixar o Programa Gerador de Declaração (PGD) no site da Receita Federal, é necessário preencher, sem erros, cada campo requerido.

Rendimentos dos bancos

As instituições bancárias devem enviar o extrato anual de sua empresa até o último dia de fevereiro.

Rendimentos dos funcionários

Sua empresa deve não apenas declarar no IRPJ, como enviar este informe aos funcionários até o fim de fevereiro. O documento deve trazer todas as informações referentes a rendimentos, contribuições ao INSS, imposto de renda retido na fonte e eventuais contribuições à previdência privada e coparticipação em plano de saúde corporativo, independente de ter havido ou não rendimentos tributáveis.

A empresa que deixar de fornecer este material aos beneficiários ou fornecê-los sem exatidão pagará multa  equivalente a R$41,43 por documento.

A fonte pagadora que prestar informação falsa sobre rendimentos pagos, deduções ou imposto retido na fonte está sujeita à multa de 300% sobre o valor que for indevidamente utilizado como redução do imposto sobre a renda devida, independentemente de outras penalidades administrativas ou criminais.

Declare também seu Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF)

Empresários também devem declarar seu Imposto de Renda Pessoa Física (IPRF) do começo de Março até o final de Abril. Você pode baixar os programas de elaboração e declaração pelo site da Receita Federal e declarar sozinho, especialmente se sua empresa não tiver tanta complexidade de bens e rendimentos.

Quem recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 26.816,55 em 2015 é obrigado a declarar. Se você obteve recebimento de capital sob alienação de bens, direitos, posse de terrenos e/ou imóveis com valor superior a R$ 300.000,00; teve rendimentos isentos de tributação acima de R$ 40.000,00 no ano ou retenção de IR durante o ano, mesmo estando abaixo do valor indicado, está apto a declarar e a restituir o imposto posteriormente dentro do calendário do Leão. Mesmo quem não recebeu este montante pode fazê-lo para criar um histórico transparente e confiável com a Receita.

LEIA TAMBÉM: Erros comuns ao fazer a declaração de Imposto de Renda

Rendimentos de gestoras e corretoras

Quem investe por meio de gestoras ou corretoras independentes receberá, até o fim de fevereiro, o informe dessas instituições contendo o saldo em conta e em cada aplicação e os rendimentos anuais.

Recibos e notas fiscais de serviços médicos e odontológicos

Comprovantes de consultas, internações, exames e gastos com plano de saúde, entre outras despesas com saúde que podem ser dedutíveis.

Recibos, notas fiscais ou boletos pagos de despesas com educação

Despesas com educação também devem ser comprovadas com documentos que detalhem os pagamentos de cada mês e que contenham o nome e o CNPJ da instituição de ensino.

Comprovantes de aluguel

Quem paga ou recebe aluguéis também deve reunir os documentos relacionados.

Quickbooks

Tem hora que a gente precisa de uma mãozinha com o nosso gerenciamento financeiro. Melhor ainda se não precisarmos pagar caro por isso. Uma boa escolha nesse caso são as soluções QuickBooks e QuickBooks ZeroPaper. Elas facilitam o controle do fluxo de caixa mais e otimizam seu controle de receitas e despesas com a possibilidade de emissão de boletos e criação de gráficos e relatórios de gestão fiscal.

Conclusão

O planejamento financeiro e tributário de uma empresa é parte fundamental de seu sucesso. Erros e más escolhas podem gerar perdas e dores de cabeça desnecessárias. Os softwares de baixo custo da família Quickbooks ajudarão sua empresa a manter as contas em dia,  ganhando competitividade e mantendo mais recursos em caixa.

O QuickBooks e o QuickBooks ZeroPaper organizam informações, reúnem documentação de receitas, despesas, notas fiscais e gerenciamento de estoque, melhorando suas tomadas de decisão. Dê à sua empresa a melhor ferramenta para o seu sucesso financeiro.

O QuickBooks e o QuickBooks ZeroPaper têm ferramentas que ajudam a administrar seu ano fiscal.

Saiba mais em www.quickbooks.com.br

Gostou do artigo? Siga-nos no Facebook ou Twitter e veja mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas.

Artigos Relacionados