Como se organizar para não perder as datas de pagamento dos impostos

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

Para as empresas e profissionais autônomos, é essencial ter uma boa gestão fiscal — ou seja, cuidar bem do controle financeiro, fluxo de caixa e estratégias das questões fiscais e tributárias.

No entanto, muitas vezes, empresas e profissionais autônomos ignoram a gestão fiscal e se perdem nos impostos, muitas vezes atrasando pagamentos. Nesse caso, pode-se ter uma certeza: o Fisco vai cobrar o pagamento com multa e juros.

Leia também: Conheça os impostos para MEI’s e profissionais liberais

Pensando nisso, separamos algumas dicas de como fazer a gestão fiscal do seu negócio e não perder as datas de pagamento de impostos. Confira!

O que você precisa pagar para iniciar seu negócio

Antes de tudo, para realizar o pagamento dos impostos em dia é preciso saber o que você precisa pagar. Isso depende muito do tipo de atividade que exerce e do tipo de empresa que você tem.

Profissionais liberais pagam o ISS (Imposto Sobre Serviço), micro e pequenas empresas podem se inscrever no Simples Nacional (um conjunto de impostos cobrados sob uma única rubrica) e empresas maiores têm que arcar com vários tributos. Todos pagam Imposto de Renda e, caso possuam uma sede ou filiais, IPTU, dentre outros.

Leia também: IRPJ: tudo sobre o Imposto de Renda para empresas

Ou seja, existem muitos tipos de obrigações tributárias com que um profissional ou empresa precisam arcar. Por isso, é necessário saber quais são todos eles antes de organizar o pagamento dos impostos em dia. Gaste um tempo fazendo esse mapeamento como primeiro passo.

Organize seus impostos

Após o mapeamento dos impostos e tributos com que você terá que arcar, faça uma planilha com todos eles. Coloque nessa planilha os campos Periodicidade do pagamento (mensal, anual, continuada etc), a data em que o pagamento deve ser efetivado e o valor real ou presumido referente.

ISS e IR, por exemplo, são calculados com base nos serviços prestados e no rendimento; portanto, use uma média para calcular o valor presumido. IPTU, Simples Nacional e outros têm um valor real aferível, o que torna mais fácil colocá-los na tabela e ter uma estimativa sobre o quanto se precisa para arcar com os impostos e a data provável que se tem para isso.

Leia também: Simples Nacional: confira as novas tabelas e limites para 2018

Nesse ponto, a tecnologia pode ser uma forte aliada. Existem softwares e serviços em nuvem de organização e planejamento financeiro que podem auxiliar nessa etapa de organização. Esses sistemas de controle financeiro tendem a ter mais funcionalidades e garantir mais seguranças para seus dados do que as tradicionais planilhas.

Faça um planejamento financeiro e um fundo de reserva tributário

Com base nas informações anteriores — mapeamento dos tributos e perspectiva de custos tributários —, é possível fazer um planejamento financeiro para a empresa com base em uma gestão fiscal e, mais importante para o momento, criar um fundo de reserva específico para questões tributárias, a fim de não ser surpreendido pela Receita Federal depois.

Lembre-se: sai mais barato e dá menos problemas futuros fazer esse planejamento financeiro e um fundo de reserva para o pagamento dos impostos em dia do que, posteriormente, ter que pagar com multa, juros e um possível processo administrativo correndo. Com essas três dicas simples, é possível se organizar e realizar o pagamento dos impostos em dia sem dificuldades.

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook ou Twitter e veja mais matérias sobre finanças.

Artigos Relacionados

4 dicas de gestão fiscal para pequenas empresas

Existe um ditado que pode ser usado para diversas situações na vida,…

Leia Mais

Como preparar o seu negócio para uma auditoria fiscal

Já sabe o que é auditoria fiscal, como ela funciona e quer…

Leia Mais

9 sinais que indicam a necessidade de um contador

Como um pequeno empresário, talvez você tenha conseguido administrar seu dinheiro com…

Leia Mais