Profissional liberal pode ter aposentadoria pelo INSS?

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

As vantagens de ser um profissional autônomo você já conhece: flexibilidade de horário, poder trabalhar em home office, escolher seus próprios clientes, ganhar mais do que se estivesse empregado, entre outras. Porém, ao mesmo tempo, essa opção traz algumas dificuldades: ficar alguns dias sem trabalhar, por exemplo, não causa uma demissão, mas você também não ganha dinheiro.

A aposentadoria para profissional liberal também não é coisa automática — há que se organizar e separar uma parte da renda para os anos em que sua força de trabalho já não for a mesma. Se você é profissional liberal e quer saber o que é necessário para garantir sua aposentadoria, continue lendo!

Quais são as opções de aposentadoria para profissional liberal?

O profissional que trabalha com carteira assinada, compulsoriamente, tem 11% de seus rendimentos retidos pela Previdência Social, o que lhe garante a aposentadoria por idade, tempo de serviço ou invalidez, conforme a legislação vigente. É claro que, se quiser incrementar a sua renda, pode contribuir com planos de previdência complementar, privados ou organizados pela própria empresa. As opções para o profissional liberal não diferem muito — o que muda é que ele próprio tem que se organizar e planejar a sua aposentadoria, já que não tem uma empresa fazendo isso por ele.

LEIA TAMBÉM: É autônomo? Veja dicas para definir metas de trabalho

Para garantir uma aposentadoria tranquila, o profissional liberal pode pagar um plano de previdência privada, abrir uma caderneta de poupança ou fazer algum outro investimento a longo prazo, como fundos de renda fixa, títulos do tesouro direto, ações, entre outros; ou ainda contribuir com a Previdência Social.

É importante ressaltar que o profissional não precisa escolher apenas uma dessas modalidades — pode optar por todas! Poupar para a aposentadoria nunca é demais, e combinar duas ou três opções é, na verdade, o ideal para garantir uma aposentadoria tranquila.

Se posso poupar para a aposentadoria, por que contribuir para a Previdência Social?

Contribuir para a Previdência Social não garante apenas a aposentadoria por idade ou tempo de serviço: garante também o acesso a outros benefícios durante a vida ativa do profissional, que podem significar tranquilidade em tempos difíceis.

LEIA TAMBÉM: Veja diferenças entre ME, MEI e profissional autônomo

Ao contribuir para a Previdência Social o profissional liberal tem direito, por exemplo, a aposentadoria por invalidez, auxílio doença e salário maternidade por 120 dias para si próprio, e a auxílio reclusão e pensão por morte para seus dependentes. Não dá para saber quando será necessário usar um fundo de reserva, não é mesmo?

 Como realizar a contribuição?

Contribuir para a Previdência Social como profissional autônomo é bem simples. Para começar, você deve ter o número do PIS/Pasep ou seu Número de Inscrição do Trabalhador — o NIT — em mãos. Se você já trabalhou como empregado, certamente tem esse cadastro. Se não, precisa fazer o seu. Para isso, acesse o site do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) e complete o procedimento.

A partir daí, basta preencher a Guia da Previdência Social (GPS) e contribuir. Atualmente, além da opção de gerar e imprimir a GPS para pagar em qualquer banco ou caixa automático, a Previdência também possibilita o débito automático da contribuição em conta corrente, opção que torna a operação ainda mais conveniente. Para quem ainda tem dúvidas, o Governo Federal disponibiliza, além de um site explicativo, o número 135 para informar o contribuinte. É só ligar!

Com um pouco de organização financeira e pessoal, a aposentadoria para profissional liberal está garantida, e você pode aproveitar o que a sua opção profissional tem de melhor!

Artigos Relacionados