Fluxo de caixa para revendedoras de cosméticos

por Equipe QuickBooks

4 minutos de leitura

Se você é revendedora Avon, Natura, Mary Kay, Jequiti, O Boticário, Eudora ou qualquer outra marca de cosmético, sabe que o controle financeiro é fundamental para ir bem no negócio. E para que a gestão financeira realmente funcione, o melhor caminho é fazer o fluxo de caixa todos os dias. Mas você sabe como fazer isso?

Conversamos com a contadora Daliana Luiza Gunitzky para ensinar passo a passo como fazer o fluxo de caixa para revenda de cosméticos. Confira nossas dicas e boas vendas!

Dica 1: entenda o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta que serve para controlar as contas a pagar e contas a receber. Para uma revendedora de cosméticos, ele é fundamental para organizar as parcelas de pagamento dos pedidos de produtos, quanto dinheiro já entrou e quanto ainda falta para receber dos clientes. A contadora Daliana Luiza Grunitzky alerta sobre a importância da estimativa clara das despesas, pois, a partir delas, é possível controlar também os lucros.

Para montar o fluxo de caixa, você pode contar com uma planilha de gastos ou com um gerenciador financeiro online. Os gerenciadores online costumam ser mais eficientes para fazer o controle financeiro porque você não precisa configurar tabelas e fórmulas – basta colocar os valores nos lugares indicados e, automaticamente, tudo aparece organizado na tela. Outra coisa legal é que manter o fluxo de caixa online permite que você acesse as contas em qualquer lugar e evita riscos de perda de informações.

E nós temos uma sugestão interessante: o fluxo de caixa do QuickBooks ZeroPaper. Além de gratuito e seguro, ele é superfácil de usar e vai ser uma mão na roda para o seu controle. Veja como é simples:

  • Depois de fazer o login, clique na aba de movimentações, que fica do canto superior direito da sua tela.
  • Outra tela irá aparecer – nela, estão as abas para acrescentar as movimentações de dinheiro. Clique em despesas fixas para colocar o valor dos pedidos que você fez. Em despesas variáveis, acrescente valores que se alteram, como a gasolina ou o táxi para ir até a casa dos clientes. Em recebimentos, você descreve o que já recebeu e o que vai receber, e a data.
  • Um resumo das contas aparece, facilitando que você confira quanto tem para pagar e para ganhar. Você também pode checar tudo de forma detalhada, abrindo cada aba. Simples assim!

Quer aprender mais? Aproveite e assista ao nosso vídeo do passo a passo aqui!

Leia também: 8 passos para começar a fazer o controle financeiro

Dica 2: estipule um lucro viável para fazer o pedido dos produtos

Outro passo bem importante é calcular os lucros que você precisa para ter um negócio rentável. E para isso nada melhor do que fazer o controle de fluxo de caixa para visualizar se esse valor está sendo o suficiente. Vamos imaginar uma situação real?

Em um pedido de R$ 1.000 com 40% de desconto, você paga R$600 reais. Seu custo, portanto, foi R$600 reais. Você vai vender esses produtos pelo preço tabelado, R$1.000.

Logo, gastando R$600 para comprar os produtos e recebendo R$1.000, você ganha de volta o valor do seu investimento (R$600) e mais o lucro (R$400).

E para pensar no seu lucro, você pode fazer duas contas: qual foi a sua margem, ou, quanto você ganhou em cima do que investiu.

Para saber qual a margem de lucro, a conta fica assim:

Receita total: R$ 1.000

Custos: R$ 600

Lucro: R$ 1.000 – R$ 600 = R$ 400

Margem de lucro: R$400 / R$ 1.000 x 100 = 40%

Agora, para calcular a porcentagem do seu lucro em cima do que você gastou, a conta é diferente. Olha só:

Dica 3: monitore seus impostos

A contadora Daliana explica que é fundamental fazer um bom planejamento tributário para manter a lucratividade do negócio de revenda. Isso significa que é preciso colocar no seu controle financeiro o valor que você deve pagar de impostos sobre o que faturou.

Leia também: Finanças pessoais X finanças empresariais: por que não misturar

Se você é uma revendedora informal – ou seja, não tem um CNPJ –  você só precisa declarar o Imposto de Renda de Pessoa Física e, isso, se os seus rendimentos ultrapassem o valor de isenção –  em 2017, foi R$ 28.559,70.

Como pessoa jurídica, depende do regime tributário escolhido. Muitas revendedoras permanecem na informalidade, mas, na verdade, ter um CNPJ nem sempre é tão burocrático quanto parece e pode ajudar muito os negócios. Isso porque, ao ter um cadastro de pessoa jurídica, você tem acesso a facilidades para empresas – como maquineta de cartão de crédito e financiamentos com juros bem mais baixos. E nesse caso, a nossa sugestão é a modalidade de MEImicroempreendedor individual. Na categoria, você formaliza a sua atividade no próprio Portal do Empreendedor e paga um valor fixo mensal de imposto (por volta de R$50) que também serve como contribuição para a aposentadoria e dá direito à auxílio-maternidade e doença.

E para controlar as despesas com os impostos, o fluxo de caixa do QuickBooks ZeroPaper também pode ajudar. Nele, você emite relatórios financeiros que mostram como está a sua lucratividade e despesas por modalidades.  Assim, a sua contabilidade fica em dia e você tem recursos e tempo para investir nas vendas. Legal, né?

Artigos Relacionados

Qual o papel do fluxo de caixa no planejamento financeiro?

Gerir as questões financeiras com excelência é algo fundamental para que um…

Leia Mais

Veja 5 dicas para controlar melhor seu fluxo de caixa

Artigo escrito por Taisa Sganzerla O fluxo de caixa é o pulmão…

Leia Mais

Fluxo de caixa: veja como preparar um demonstrativo

É possível comparar o fluxo de caixa da sua empresa ao movimento…

Leia Mais