Centros de custos: mais eficiência na gestão empresarial

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

Criar e manter uma empresa sustentável não é das tarefas mais fáceis. Segundo o Sebrae Nacional, a situação é ainda mais agravante em negócios recentes. Uma pesquisa realizada pela instituição aponta um índice alto, superior a 26%, na taxa de mortalidade de empresas com até 2 anos de vida. Usar os centros de custos podem amenizar essa situação e te proporcionar mais eficiência na gestão empresarial.

Dentre os principais motivos para este resultado, encontra-se a falta de planejamento, acompanhamento do negócio e, principalmente, o descontrole financeiro. Diante a esse fato, é fundamental atentar-se ao modelo, controle, processos e ferramentas de gestão.

Neste contexto, o controle do fluxo de caixa e a incorporação dos centros de custos para gerir, avaliar, controlar e otimizar tanto os gastos quanto os investimentos se torna fundamental.

Leia também: 4 erros de gestão financeira que podem acabar com sua empresa

O conceito de Centro de Custos

O custo é o que uma empresa gasta pela produção dos produtos ou prestação dos serviços que serão ofertados. Quando contextualizado ao conceito de centro de custos, diz respeito aos custos separados por centros de negócio da empresa.

Em outras palavras, ele representa os gastos da empresa por cada setor ou segmentação dele – é o caso de grandes empresas, que dividem os custos de uma área em subgrupos.

Como exemplo, o centro de custos do Recursos Humanos pode ter um budget distinto para Treinamento e Desenvolvimento, outro para Recrutamento e Seleção, um para Comunicação Interna e assim sucessivamente. Desta forma, é possível controlar com mais eficiência os custos de cada uma dessas subáreas.

Tipos de Centro de Custos

Os centros de custos se dividem, basicamente, em dois tipos: o produtivo e o administrativo. Vez ou outra, também é possível encontrar um novo tipo: os centros de custos auxiliares.

Centros de custos produtivos

Referem-se às áreas destinadas à produção. Ou seja, são aquelas que desenvolvem produtos ou englobam os prestadores de serviços com a finalidade de gerar renda para a empresa. Eles podem ser divididos não apenas por departamentos, como também por processos.

Leia também: 5 motivos para fazer a gestão financeira do seu negócio

Centros de custos administrativos

Estes centros de custos estão ligados às áreas intrínsecas a uma empresa, porém, que não têm função diretamente à produção. São os setores administrativos, de vendas, logística, marketing, recursos humanos, dentre outros.

Vantagens da gestão de gastos através dos centros de custos

Organização e eficiência são o que toda empresa busca – ou deveriam – para a gestão financeira. Isso porque, somente se torna possível ter uma visão sistêmica sobre onde cortar gastos – e então desenvolver planos de ação para efetivar estes cortes -, caso seja capaz de identificar o problema em questão.

Leia também: 10 dicas para cortar gastos na sua empresa

Para isso, a definição e controle desses gastos através dos centros de custos é o mais indicado. Com o auxílio de uma ferramenta, como o ZeroPaper, é possível identificar onde e como o seu dinheiro está sendo despendido.

Assim, você conseguirá avaliar o que é ou não realmente necessário, cortando gastos dispensáveis.

Lembre-se que reduzir custos é o primeiro passo para o aumento da lucratividade. Desta forma, você não terá apenas mais organização e eficiência nas finanças, mas em todo o seu negócio.

E você, já realiza o controle de gastos de sua empresa através da divisão por centros de custos?

Compartilhe suas experiências e questões através dos comentários. As suas dúvidas podem se tornar assunto para um próximo post aqui no blog!

 

Artigos Relacionados

Qual o papel do fluxo de caixa no planejamento financeiro?

Gerir as questões financeiras com excelência é algo fundamental para que um…

Leia Mais

Como planejar um retiro de negócios

por Jaimy Ford Às vezes, para sair da rotina e realmente repensar seu planejamento…

Leia Mais

Ativos x despesas: conheça as diferenças

Artigo escrito por Sandi Smith Leyva, especialista em contabilidade para empresas Tanto ativos…

Leia Mais