Cash-out: como funcionam diferentes estratégias de saída

por Equipe QuickBooks

4 minutos de leitura

Para muitos empresários, abrir uma empresa não é apenas um meio de ganhar a vida. Também é um projeto com o qual estão entusiasmados e querem cultivar e desenvolver ao longo dos anos, muitas vezes com um fim em vista. Por causa disso, os fundadores muitas vezes não consideram suas estratégias de saída ao iniciar a caminhada.

Uma estratégia de saída permite que o proprietário/investidor extraia seu dinheiro de um empreendimento. Embora seja ótimo iniciar uma oportunidade de negócios com expectativas altas, não criar uma estratégia de saída pode deixar você com uma séria desvantagem. As estratégias de saída não só ajudam a garantir que você terá um retorno sobre o investimento, mas também tranquilizam financiadores ansiosos de que seu dinheiro está em boas mãos. Em longo prazo, tornar seus negócios mais atraentes para possíveis compradores beneficiará sua empresa mesmo que você decida não vender.

Antes de selecionar a estratégia de saída ideal para sua empresa, é importante conhecer as vantagens e desvantagens de cada opção. Veja abaixo algumas das estratégias de saída mais populares empregadas por pequenos empresários modernos:

  • Aquisição

A aquisição refere-se a um processo no qual uma empresa paga uma quantia de dinheiro para comprar outra. Dependendo dos detalhes do acordo, a nova empresa pode nomear sua própria equipe de gerenciamento para administrar partes da (ou toda a) empresa adquirida ou pedir que os funcionários atuais permaneçam empregados para lidar com as operações diárias.

É claro que atrair possíveis compradores para sua empresa é uma situação do tipo “é mais fácil falar do que fazer”. A meta é convencer o comprador que seus negócios valem, pelo menos, o preço mínimo que você aceitaria. O mais importante, portanto, é garantir que seus negócios tenham ativos valiosos para outras empresas. Esses ativos podem ser funcionários, propriedade intelectual, ativos físicos, patrimônio da marca ou uma combinação de dois ou mais.

Embora encontrar uma empresa compradora possa ser difícil, essa estratégia de saída também pode ser incrivelmente lucrativa para os proprietários e investidores. Por exemplo, quando a Apple adquiriu a Beats Music e a Beats Electronics por US$ 3 bilhões em 2014, os proprietários da Beats receberam uma soma impressionante.

  • Liquidação

Embora todos os empreendedores desejem que seus negócios tenham uma história de sucesso, algumas empresas inevitavelmente provam-se menos rentáveis.

Como resultado, os proprietários podem ter de considerar a liquidação, ou seja, o processo pelo qual uma empresa fecha e vende seus ativos. Muitas empresas em dificuldades optam pela liquidação em vez de buscar financiamento adicional que poderia levar a mais dívidas. Isso aconteceu com a importante livraria Borders, que pediu proteção contra falência em fevereiro de 2011 antes de liquidar alguns ativos para a concorrente Barnes & Noble e fechar as portas de vez.

A liquidação não é uma boa estratégia de saída para todas as empresas. Para que os investidores extraiam uma quantidade significativa de dinheiro, a empresa deve possuir uma grande quantidade de ativos e propriedades. É importante ter em mente que qualquer caixa obtido pelo processo de liquidação deve ser usado para pagar credores antes que os proprietários possam pegar sua parte.

  • Vendas para familiares e funcionários

Não suporta a ideia de passar para estranhos a empresa, que é seu orgulho? Os empresários que desejam realizar cash-out podem considerar a venda para um parente ou funcionário atual confiável. Assim, essa pessoa adquire uma empresa estabelecida e o proprietário fica tranquilo sabendo que o emprego dos funcionários está protegido e o legado da empresa mantido.

É claro que os proprietários que esperam recuperar seus investimentos por meio de vendas para familiares ou funcionários devem planejar com antecedência. Na verdade, algumas empresas oferecem ações para os funcionários como parte de seus pacotes de remuneração. Se você optar por vender a um familiar ou funcionário atual, certifique-se de que o preço oferecido reflete o valor justo de mercado ou você poderá ter de pagar um imposto sobre doações.

  • Oferta pública inicial

Muitos empresários sonham que sua empresa venha a ser de capital aberto. A oferta pública inicial é a primeira venda das ações de uma empresa ao público em geral. Embora abrir o capital de uma empresa possa ser desafiador, ela pode ter enormes ganhos financeiros.

A GoDaddy, uma empresa de hospedagem na Web conhecida por seus anúncios no Super Bowl, teve uma alta significativa nas vendas ao ser lançada no mercado. Na verdade, as ações subiram impressionantes 30% além do preço da oferta pública inicial.

Em relação a estratégias de saída, as ofertas públicas iniciais são uma das mais difíceis. Apenas alguns milhares de empresas atingem esse marco a cada ano. Além disso, dependendo da maneira como a oferta pública inicial é estruturada, os investidores não conseguirão sacar todo o seu capital inicialmente. Os contratos de restrição à negociação de ações, que impedem a venda de estoque por um determinado período após a conclusão da oferta pública inicial, são um componente essencial de muitas ofertas públicas iniciais.

Além disso, empresas que optam por se tornar de capital aberto podem ter de lidar com uma maior vigilância pública e da Receita Federal. Por esse motivo, muitas empresas de sucesso, como a IKEA, optaram por permanecer privadas.

Gostou desse artigo? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas. 

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos assuntos de interesse dos empreendedores.

Artigos Relacionados