Atividades de lazer que contribuem para o sucesso nos negócios

por Equipe QuickBooks

9 minutos de leitura

Artigo escrito por Rochelle Bailis

Aqueles que buscam posições de liderança empresarial ou trabalhar de modo autônomo podem se sentir pressionados por suas aspirações, mesmo fora do horário de trabalho. As pessoas focadas em suas carreiras costumam passar o tempo livre fazendo coisas que contribuam para suas metas profissionais, como networking, ler livros de negócios, aprender algo relacionado ao trabalho ou manter um blog de negócios.

Mas esse foco único é positivo? Muitos estudos indicam que desafiar seu cérebro de outras maneiras pode ser melhor para expandir sua criatividade, agilidade mental e inteligência emocional. Veja oito atividades não relacionadas ao trabalho com comprovação científica mostrando que aprimoram habilidades essenciais para um especialista de negócios.

  • Leia ficção para ler melhor as pessoas

Muitas pessoas focadas em suas carreiras são leitores ávidos. Muitos profissionais ambiciosos em meu setor devoram um livro do estilo de Guy Kawasaki ou Seth Godin toda semana. Entretanto, como uma pessoa formada em inglês, noto que a literatura ficcional tem perdido espaço na minha estante para livros “relevantes” para minha carreira. Essa mudança é ruim?

Embora ler os sucessos literários sobre marketing e liderança possa oferecer excelentes ferramentas para o crescimento profissional, você deve pensar duas vezes antes de deixar a literatura ficcional de lado definitivamente. Estudos mostram que ler ficção literária (e a ficção especificamente) aumenta a capacidade do leitor de entender emoções de outras pessoas no mundo real.

Promover empatia e inteligência emocional é fundamental para criar parcerias sólidas, colaborar de modo significativo e inspirar outros a seguirem você. Uma inteligência emocional alta foi diretamente ligada à capacidade das pessoas de resistir a comportamentos negativos, gerenciar conflitos e aumentar o desempenho e a satisfação com o trabalho de si mesmas e daqueles com quem trabalham.

  • Comprar roupas com um fim científico em mente

Você provavelmente já ouviu sobre a importância do modo de se vestir no trabalho para que os outros levem você a sério. A realidade é que os efeitos de suas roupas vão além de obter respeito ou sentir-se atraente.

Diversos estudos mostraram que sujeitos usando um jaleco branco farão literalmente a metade de erros em um teste em comparação àqueles sem jalecos. Além disso, pessoas usando os mesmos jalecos de laboratório, mas para as quais foi dito que usavam “jalecos de pintores” tiveram resultados piores no teste do que as pessoas para as quais foi dito que usavam “jalecos de médicos”. Aparentemente, usar um jaleco de médico não apenas faz as pessoas se sentirem mais inteligentes, literalmente as torna mais inteligentes.

Antes de sair e comprar um jaleco de laboratório para usar no escritório, considere o que o estudo realmente significa: sua inteligência e suas habilidades mentais não são fixas, mas flexíveis, formadas principalmente pelo que você acha que é esperado de você. Essas expectativas parecem se basear, pelo menos parcialmente, nas suas roupas. Quando você se veste com criatividade, expressão e elegância ou, de modo geral, como o profissional que aspira ser, seu cérebro faz de tudo para enfrentar o desafio e tornar você a pessoa que suas roupas representam. Então, que tal ir às compras?

  • Viagens: relacionar-se com outras culturas aumenta a criatividade

Uma das maneiras mais conhecidas de melhorar seu pensamento inovador é viajar. Um estudo da Northwestern mostrou que as pessoas que aprenderam a identificar-se com duas culturas em vez de uma são mais bem-sucedidas, mais empreendedoras, possuem reputações profissionais melhores e apresentam uma taxa mais elevada de promoções durante a vida.

Nesse sentido, um estudo da Universidade de Indiana mostrou que pensar sobre pessoas ou lugares distantes inspira as pessoas a chegarem a diversas soluções mais criativas para seus problemas. Aproveite e fantasie sobre sua vida na Itália, até mesmo essa ação poderá gerar mais pensamentos criativos.

  • Seja um cliente: perceba o que é importante para você

Mesmo que você não trabalhe diretamente com eles, o objetivo é sempre entender melhor os clientes. Ficar apontando “o que o cliente realmente quer” dentro de uma sala de reuniões tem suas limitações. Mesmo ao trocar ideias com seus colegas, você só chega a certo ponto. Seu conhecimento profundo de seu produto e setor inevitavelmente distorcem sua capacidade de compreender as perspectivas de um cliente externo (particularmente um novo cliente).

Felizmente, você é um novo cliente todos os dias. Reconhecer seus sentimentos, suas reações e suas experiências como um cliente pode ser extremamente valioso. Da próxima vez que você comprar ou receber um serviço, preste atenção em suas emoções durante a experiência. Lembre-se das surpresas agradáveis, como as flores na mesa do restaurante ou a nota personalizada de um vendedor de loja on-line. Lembre-se das coisas que provocaram uma sensação ruim, como a recepcionista que não retornou seu sorriso ou a loja on-line na qual só era possível ver os custos de envio depois de inserir as informações do cartão de crédito. Quais aspectos da experiência de cliente frustram você? O que chama sua atenção? O que faz com que você volte?

Quando se é um cliente, os pequenos detalhes que afetam a experiência (e que você, muitas vezes, esquece como vendedor) podem chamar muito a atenção. Vá às compras e preste atenção, você conseguirá aproximar as diferentes perspectivas mais facilmente.

  • Mantenha um diário e escreva criativamente

Todos os profissionais reconhecem o valor da boa escrita. Ela permite que comuniquemos conceitos mais claramente e nos ajuda a parecer mais inteligente em trocas de e-mails. Escrever um blog de negócios pode beneficiar seus esforços de branding, mas estudos mostram que a escrita criativa e livre tem um efeito ainda maior na sua habilidade de processar ideias complexas.

Foi demonstrado que exercitar regularmente a “escrita expressiva”, que se refere à escrita emocional, anedótica e muito pessoal dos diários, melhora a memória e ajuda as pessoas a lidar com emoções e eventos negativos mais rapidamente.

Além disso, a escrita criativa regular ajuda você a compreender diferentes tipos de informações, lembrar-se deles e recuperá-los e pode até mesmo ajudar você a compreender melhor conceitos muito complexos e explicá-los aos outros. Essa habilidade de gerenciar não apenas seu próprio entendimento de uma circunstância, mas comunicar claramente ideias complexas a outras pessoas é essencial para a colaboração e liderança.

  • Durma: mais de oito horas de sono aumenta a função cerebral

Especialmente se quiser dominar uma habilidade ou consolidar seu entendimento de um novo conceito, saiba que o sono é essencial para codificar memórias e informações, de acordo com pesquisadores da Universidade da Pensilvânia.

E virar a noite? Infelizmente, as desvantagens desses troféus de empreendimento são maiores que os possíveis benefícios. Mesmo depois de vários dias “recuperando” o sono, a capacidade de concentração e as habilidades mentais de um indivíduo permanecem prejudicadas após um período de vigília estendida. Na verdade, outros estudos da Universidade da Pensilvânia mostram que ficar acordado por um longo período (e regularmente) leva a danos neuronais irreparáveis e até mesmo à perda de neurônios.

  • Teste os limites de seu corpo

Na minha formatura da faculdade, notei que todos os alunos dançavam perto da banda, mas a maioria dos professores, mais velhos e catedráticos, contorcia-se sem jeito nas laterais como pré-adolescentes na primeira reunião dançante. Esses sábios acadêmicos que eu reverenciava há anos subitamente pareciam muito desajeitados. Um professor disposto a rir de si mesmo uniu-se a mim em minha observação dessa deselegância e explicou: “ao exercitar nossas mentes, esquecemos-nos de nossos corpos”.

Se você é como muitos trabalhadores de hoje, então você exercita sua mente muito mais do que seu corpo. Isso é tão verdade que pensar de maneira crítica tornou-se um desafio familiar, ao qual você se acostumou a enfrentar regularmente. Enquanto isso, um desafio físico, como correr uma maratona ou aprender tango, pode parecer muito mais complicado do que a ideia de escrever um relatório enorme.

Por que isso é importante: ser bem-sucedido envolve fazer um monte de coisas que não deseja fazer e que desafiam você de uma forma completamente desconhecida. Forçar-se a sair da zona de conforto prepara você para lidar com os obstáculos que aparecerão constantemente em seu caminho para o sucesso.

Além disso, desafiar seu corpo desse modo provavelmente ajudará você a ficar em boa forma. Como você deve saber, exercícios regulares trazem muitas vantagens para o cérebro, incluindo aumentar seu tamanho, melhor sua acuidade mental e impulsionar os níveis de norepinefrina, o que aumenta sua perspicácia e atenção.

  • Pechinchar: economiza seu dinheiro e melhora sua habilidade de negociação

Mesmo que dinheiro não seja um problema, pechinche em um local onde nunca o fez antes. Obviamente, há certos lugares onde não é possível pechinchar (por exemplo, o supermercado), mas há outras oportunidades que você pode estar perdendo.

Todo mundo está acostumado a pechinchar o preço de um carro, mas, da próxima vez, tente pechinchar os pneus. Tente também com grandes eletrodomésticos, móveis e colchões. Lembre-se de que, às vezes, você pode obter um desconto nas peças do mostruário ou negociar preços melhores em janeiro, antes de o estoque do ano chegar.

Com itens de luxo, como joias, lembre-se de que o preço é, muitas vezes, determinado por estilos e tendências flutuantes, e não por um valor fixo determinado.

Por fim, veja se você pode obter um desconto ao oferecer dinheiro em vez de usar o crédito (pois, com isso, o comerciante economiza uma taxa de transação).

Pechinchar pode parecer mesquinho, mas, nos casos mencionados acima, aplica-se a itens com margens de lucro significativas. Sem falar que pechinchar é muito mais comum em outros países, e pesquisas mostram que 72% dos consumidores americanos já pechincharam e que 80% deles disseram ter sido bem-sucedidos.

A ideia de pechinchar deixa você desconfortável? Ótimo. Isso significa que você está no caminho certo. A maioria das pessoas sente-se desconfortável em pedir dinheiro ou atenção especial, mas isso é basicamente o que você está fazendo quando pede a um cliente que dê dinheiro a você. Se você não conseguir pedir um desconto a um vendedor de colchões, como poderá solicitar que um investidor dê dinheiro a você ou que um cliente pague pelos seus serviços? Uma pessoa bem-sucedida deve aceitar o desconforto. É um processo natural da realização de grandes conquistas.

Gostou desse artigo? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas. 

Curta também nossa página no Facebook e fique por dentro dos assuntos de interesse dos empreendedores.


Artigos Relacionados