4 tipos de recibo importantes para um empresário

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

Todo microempresário tem uma série de dúvidas e uma das principais é quais os tipos de recibos são realmente importantes. Afinal, esse tipo de documento, embora não seja oficial como a nota fiscal, pode ser muito útil na hora de comprovar que um serviço foi prestado ou um produto vendido e que o cliente fez o pagamento de forma correta. Além de dar segurança para o cliente, os recibos também podem ajudar o microempresário a controlar o seu fluxo de caixa. Para saber qual melhor se adequa a suas necessidades, listamos alguns tipos de recibos que você deve conhecer. Acompanhe!

Recibo de pagamento de vendas

Também conhecido como “fatura”, esse é o recibo mais utilizado em qualquer negócio. Nele deve estar contidadas as informações do vendedor e do comprador e uma listagem dos produtos vendidos ou serviços prestados, onde são discriminadas as unidades vendidas, preço unitário e toltal gasto. Também é importante registrar a forma de pagamento (à vista, no dinheiro, cartão de débito ou parcelo no cartão de crédito) e os descontos. Alguns empresários também costumam colocar o valor dos impostos contidos na venda. Esse tipo de recibo é extremamente importante para o controle de caixa de qualquer loja e deve ser arquivado de maneira simples e acessível.

LEIA TAMBÉM: 5 cortes de custo que você deve evitar em sua empresa

Ticket e voucher

O ticket é uma forma mais simplificada do recibo de pagamento de contas: normalmente impresso direto do caixa, na hora da compra, ele contém informações sobre o vendedor, listagem dos produtos vendidos e valor total da compra. Já o voucher é o registro de uma pagamento feito antes da compra efetiva de um produto ou serviço. Esse tipo de recibo é muito utilizado quando uma empresa faz uma venda online e o comprador retira o produto em um momento posterior a compra realizada no e-commerce.

Nota promissória

A nota promissória é, em certa medida, a formalização daquilo que é chamado popularmente de “vender fiado”. Só que, vendendo fiado, ou seja, oferecendo um produto ou serviço sem, no entanto, receber o pagamento de forma imediata, você não tem nenhuma garantia de que o pagamento futuro será realizado — problema que a nota promissória tende a resolver.

Basicamente, esse recibo contém informações sobre o serviço ou produto que foram utilizados, o valor dele e o prazo para que o pagamento seja, enfim, realizado. Além disso, é importante que a nota seja subescrita por duas testemunhas, assim como das partes envolvidas e seja clara ao determinar o local e a data de pagamento. Caso esse acordo não seja honrado como previsto, é possível que o emissor da nota faça um protesto e exija, na Justiça, o acerto das contas conforme o que está registrado no recibo.

LEIA TAMBÉM: Veja os principais impostos pagos por pequenas empresas

Recibos de aluguel

Esse recibo não registra a relação entre vendedor e comprador, mas sim entre o empreendedor e o seu locatário. Afinal, um dos maiores gastos dos microempresários costuma ser, justamente, o pagamento de aluguel e este deve ser, portanto, rigidamente controlado. É importante que o locatário emita, mês a mês, um recibo com informações sobre as partes e os valores dos pagamentos. Assim, o microempresário consegue controlar sua saída de dinheiro e ainda manter uma documentação comprovatória de que tem honrado seus compromissos.

Agora que você já sabe quais recibos são importantes para o controle da entrada e saída de dinheiro do seu negócio, que tal conhecer 5 erros no fluxo de caixa que você não pode cometer? Aproveite a oportunidade e também descubra como fazer o seu cliente dizer sim!

Artigos Relacionados