5 erros de planejamento empresarial que você deve evitar

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

Todos os anos milhares de empresas surgem no Brasil e outras milhares deixam de existir. São muitos os fatores que podem levar ao fechamento de uma empresa, mas, em parte, o planejamento empresarial é uma forma de reduzir os riscos de insucesso. É comum que os empresários mais inexperientes sejam pegos desprevenidos por não terem total conhecimento de seu negócio ou não se planejarem de forma realista.

No post de hoje, vamos mostrar quais são os erros mais graves em um planejamento empresarial para que você corra desses problemas em 2016 e conquiste o sucesso no seu negócio. Boa leitura!

LEIA TAMBÉM: 4 erros de gestão financeira que prejudicam sua empresa

Não usar um sistema de gestão

Parece uma questão de pouca importância, mas o uso de uma ferramenta de gestão eficiente pode ser o diferencial na sua empresa. É por ele que você conseguirá conhecer cada detalhe do negócio, estabelecendo um fluxo de caixa, o custo de manutenção do estoque, os gargalos de investimento e até quanto cada sócio recebe por mês.

Só com essa visão geral bem trabalhada você consegue guiar seu negócio na direção do sucesso, observando cada dado importante e corrigindo ou melhorando o que for necessário.

O QuickBooks ZeroPaper é uma ferramenta simples e grátis para a gestão das finanças do seu negócio. Cadastre-se agora.

LEIA TAMBÉM: Veja 5 erros de fluxo de caixa que você deve evitar

Não controlar as finanças de forma adequada

Querendo ou não, sua empresa sobrevive graças ao dinheiro que possui. Por isso, saber controlar bem as finanças é essencial no seu planejamento empresarial. Veja com o que você precisa se preocupar:

  • separar a sua conta pessoal da que a empresa administra, evitando que dinheiro do negócio pague suas despesas;
  • controlar o estoque, garantindo um meio termo entre a compra, o armazenamento e a venda de produtos;
  • conhecer o rendimento da empresa, observando valores que entraram e saíram, de onde vieram e para onde foram para avaliar as mudanças mês a mês e registrar tudo isso;
  • descobrir o valor final de seu produto ou serviço, levando em conta a matéria-prima, a mão de obra, outros custos e a sua margem de lucro.

LEIA TAMBÉM: Veja dicas para controlar contas a pagar e a receber

Deixar-se levar pela concorrência

É muito comum que empresários tomem a concorrência como referência na hora de definir investimentos, preço, tipo de serviços prestados etc. No entanto, isso não é uma prática ideal. Por mais que seja positivo saber o que outras empresas estão fazendo, elas seguem um planejamento próprio, que leva em consideração uma série de fatores. O mais lógico é que você também elabore um planejamento pensado para sua empresa.

Esquecer-se dos riscos

Todo planejamento é um norte, um direcionamento para que você saiba exatamente onde deseja chegar. No entanto, como o mercado e o mundo são dinâmicos, imprevistos podem acontecer e você precisa estar preparado. Crie estratégias para que eventuais baixas nas vendas não façam com que seus lucros sejam consumidos de uma única vez, levando a produtividade dos bons meses por água a baixo.

LEIA TAMBÉM: 4 dicas para melhorar a gestão de pessoas em sua empresa

Não verificar os resultados

Depois de tanto trabalho para fazer com que seu planejamento seja o mais bem elaborado possível, é preciso saber se tudo deu certo. De nada adianta aceitar os resultados obtidos sem entender o que aconteceu para atingi-los. Por isso, de tempos em tempos faça um demonstrativo de resultados para entender se a empresa está dando lucro ou não e de onde vem esse lucro. Assim, é possível fazer modificações no caminho traçado inicialmente, corrigindo erros ou potencializando acertos.

Agora que você já sabe quais são os erros mais comuns e importantes em um planejamento empresarial, fique atento para que em 2016 você não os cometa na gestão da sua empresa. Trabalhando corretamente, as chances de sucesso do seu negócio são enormes.

LEIA TAMBÉM: Tudo o que você precisa saber sobre DANFE

Gostou do artigo? Siga-nos no Facebook ou Twitter e veja mais conteúdo sobre finanças para empresas.

Artigos Relacionados