Despesas fixas e variáveis, qual a diferença?

por Equipe QuickBooks

3 minutos de leitura

A redução das despesas é uma pauta em constante debate dentro das organizações. Embora muitas vezes só venha à tona em momentos de crise e de endividamentos, esse controle é estratégico para a sobrevivência e competitividade de qualquer empresa. É através de uma análise financeira das despesas que se pode estudar, por exemplo, a redução de preços dos produtos, além de possibilitar um panorama completo sobre o funcionamento do seu negócio.

 

A principal maneira para mapear e descobrir para que são destinadas as despesas da sua empresa é definir a diferença entre as despesas fixas e variáveis. Cada uma delas apontará para diferentes origens, que servirão como base para o seu planejamento financeiro. Fazer essa distinção também é importante para verificar quais são os resultados e retornos gerados por elas.

Preparamos a seguir uma explicação sobre cada um desses conceitos, ensinando também como gerenciá-los.

A diferença entre despesas fixas e variáveis

Para estabelecer a diferença entre despesas fixas e variáveis, o empresário deve estar atento à quais delas tem seus valores alterados de acordo com o nível de produção ou vendas, e quais não se alteram, mantendo valores fixados mesmo quando nada é vendido ou produzido naquele período.

Despesas variáveis

O que são?

As despesas variáveis normalmente são aquelas essenciais para o faturamento do seu negócio. Elas estão diretamente vinculadas ao volume vendido ou produzido pela empresa em um determinado período. Em outras palavras, quanto mais se vender, maiores serão essas despesas.

Se Dona Maria trabalha com a venda de quentinhas, por exemplo, ela terá que gastar com os alimentos para a sua produção e com a embalagem. Se em um mês ela vender mais que em outro, esses gastos vão variar proporcionalmente ao volume de vendas. Os exemplos mais comuns de despesas variáveis são as matérias-primas, impostos (como o ICMS), comissões de vendas, dentre outros.

Como gerenciá-las?

No primeiro ano o empreendedor pode ter dificuldade em gerenciar suas despesas variáveis. Afinal, quanto eu preciso gastar para atender o volume de vendas deste mês? O mais recomendado é fazer um planejamento baseado no passado e no futuro da empresa e da concorrência. Saber quais são os períodos de alta produtividade ajuda a determinar, por exemplo, o quanto precisará ser gasto com estoques para suprir a demanda do mês.

Despesas fixas

O que são?

Por outro lado, as despesas fixas são mais estáveis. Seus valores independem do que for produzido ou vendido. São as contas mensais que o empresário tem que pagar, como aluguel, luz, contador, funcionários, água, gás, telefone, etc. Perceba que, apesar do salário de seus colaboradores ser uma despesa fixa – já que é uma constante todo mês -, se a sua empresa trabalha com a política de comissão, estas devem ser catalogadas como despesas variáveis.

Como gerenciá-las?

A gerência das despesas fixas é bastante simples. O empreendedor deve sempre ter uma reserva para custeá-las, deixando sempre uma margem de segurança para evitar surpresas desagradáveis, já que, embora consideradas fixas, as despesas com telefonia, por exemplo, podem variar excepcionalmente em um determinado mês. Se esses valores começarem a variar muito, o gestor deve ficar atento, pois alguma coisa pode estar saindo errada.

Outra dica importante é definir bem o pro-labore, ou seja, os salários dos sócios. Caso essa medida não seja tomada, vai ser difícil manter os salários dentro do esperado. Estabeleça também metas de vendas para que os custos fixos sejam todos custeados.

Além, disso você pode usar ferramentas como o ZeroPaper para ter mais controle sobre as finanças.

Artigos Relacionados