Ativos x despesas: conheça as diferenças

por Equipe QuickBooks

5 minutos de leitura

Artigo escrito por Sandi Smith Leyva, especialista em contabilidade para empresas

Tanto ativos quanto despesas têm um saldo “devedor” nos demonstrativos financeiros da sua empresa, mas é aí que as semelhanças terminam. Um pode deixar você rico; o outro, falido. Vale a pena saber a diferença.

Ativo

Um ativo é um recurso tangível que pertence a você ou à sua empresa e continua tendo valor após um ano ou mais. Os melhores ativos valorizam com o passar do tempo, mas alguns também podem sofrer desvalorizações. Em geral, o valor de imóveis aumenta ao longo do tempo. Já um carro desvaloriza ou sofre forte depreciação nos primeiros anos. No entanto, ambos são considerados ativos, pois ainda têm valor após um ano.

Despesas

As despesas são o dinheiro que você gasta, por exemplo, em itens consumidos ou usados ao longo de um ano e que perdem totalmente o valor após esse período. As despesas incluem aluguel, comida, serviços, roupas, materiais de escritório e seguro de saúde.

LEIA TAMBÉM: Aprenda a aumentar a margem de lucro do seu negócio

Como acumular recursos rapidamente

Para acumular recursos rapidamente, invista seu dinheiro em ativos cujo valor permanece inalterado ou aumenta ao longo do tempo. Seja comedido nas despesas e ao investir em ativos que desvalorizam rapidamente.

Muitas vezes, é difícil diferenciar um ativo de uma despesa. A melhor maneira de entender essa diferença é comparar uma hipoteca e um aluguel. O valor em dinheiro que você gasta na sua hipoteca ou no seu aluguel pode ser o mesmo. Porém, o impacto no valor líquido (o valor total do que você possui menos o que você deve) pode ser significativo.

Com uma hipoteca, o valor da propriedade cresce todo mês a cada pagamento efetuado. Isso ocorre porque parte do seu pagamento é o principal, reduzindo o valor do empréstimo e aumentando sua posse da propriedade. O restante do pagamento são juros, que são uma despesa. Com uma hipoteca, você pode vender sua posse da propriedade e receber dinheiro ou outro ativo em uma troca no futuro. Por outro lado, ao pagar aluguel, não sobra nada ao final do mês, não há valor acumulado.

LEIA TAMBÉM: Veja dicas para fazer um bom controle de recebimentos

Oito dicas para acumular recursos

O caminho para acumular recursos é investir em ativos e minimizar despesas sempre que possível. Confira a seguir oito dicas capazes de ajudar você a acumular recursos e que todo pequeno empresário pode adotar agora mesmo:

  1. Sempre que possível, compre itens que durarão muito tempo. Em geral, terrenos, prédios, equipamentos, móveis de alta qualidade e até mesmo um bom website são exemplos de investimentos que duram mais de um ano.
  1. Quando for possível escolher entre hipoteca e aluguel, escolha a hipoteca. Eu alugava um escritório em uma sala executiva por alguns meses e via meu dinheiro ir pelo ralo a cada pagamento do aluguel. Solucionei o problema comprando um imóvel e transferindo meus funcionários para esse local. Agora, tenho um ativo pessoal que posso vender no futuro e cobro aluguel enquanto isso. E não sinto a menor falta das vantagens do centro empresarial.
  1. Quando for possível escolher entre alugar ou comprar, comprar geralmente é melhor.
  1. Seja comedido nas despesas recorrentes sempre que possível. Procure a melhor oferta de telefonia, fique atento a custos altos com viagens e entretenimento e monitore o uso dos materiais de escritório. Desse modo, você aumenta seus lucros e pode aumentar sua própria remuneração ou reinvestir na empresa. Mas não perca muito tempo com isso: os empreendedores que dedicam tempo aumentando a receita são mais bem-sucedidos do que empresários que se concentram muito em cortar custos.
  1. Se possível, diminua as reposições de ativos grandes que sofrem depreciação rapidamente. Por exemplo, o primeiro grande ativo que muitas pequenas empresas compram é um carro, que é caro e tem uma taxa alta de depreciação. No livro “The Millionaire Next Door”, um dos principais exemplos de como acumular riqueza pessoal é adiar a troca do carro o máximo possível.

Eu aprendi essa lição da forma mais difícil. Quando estava na casa dos 20 anos, costumava comprar um BMW a cada dois anos, com custos de manutenção muito altos. Por volta dos 30, decidi moderar a compra dos “melhores e mais novos” carros de luxo. Quando fiz as contas, percebi que esse hábito me ajudou a acumular dezenas de milhares de dólares a mais. Hoje, meu carrinho híbrido tem seis anos, e só agora estou começando a pensar em trocá-lo.

LEIA TAMBÉM: Saiba o que é contabilidade de custos

  1. Diminua suas despesas pessoais de rotina, especialmente se sua empresa estiver nos primeiros anos. Mudanças como aumentar o tempo entre os cortes de cabelo e fazer suas próprias unhas permitirão que você pegue faça menos empréstimos ou pague menos a si mesmo a fim de investir no aumento das receitas.
  1. Renegocie os débitos de cartão de crédito que tiver e tente conseguir juros mais baixos. Quando empreendedores não conseguem obter um empréstimo, muitas vezes eles recorrem aos cartões de crédito. Embora pequenos, os juros se acumulam com o tempo. Trata-se de uma despesa que deve ser minimizada ou evitada sempre que possível.
  1. Use cartões de crédito apenas para financiar ativos ou pague o valor total a cada mês. Se você realmente precisar de cartões de crédito para uma despesa da empresa, use-os para comprar ativos. Dessa maneira, você pelo menos manterá o valor do ativo. Ao usar cartões de crédito para despesas corporativas ou pessoais recorrentes e não consegue pagar a fatura integralmente todos os meses, você aumenta suas dívidas, diminui seu valor líquido e dificulta o acúmulo de recursos ao longo do tempo.

Invista em ativos e reduza despesas para elevar o valor líquido da sua empresa, aumentar suas chances de obter um empréstimo e maximizar seus lucros com o passar do tempo. Procure formas de aplicar isso aos seus negócios e ganhe mais dinheiro.

Artigos Relacionados